31 de maio de 2009

COMVERS presente nos festejos pelos 25 Anos da Sociedade Veneta I Baronesi




Na noite de 30 de maio 2009, o Comitato Veneto do Rio Grande do Sul - COMVERS esteve presente, representado pelo seu presidente Dr. Luiz C. Piazzetta, nas festividades pela passagem dos 25 anos de fundação da Sociedade Vêneta I Baronesi, do município de Barão de Cotegipe, na região do Alto Uruguai, entidade filiada à La Piave FAINORS. As festividades foram divididas em duas etapas. A primeira, na igreja matriz, com missa e entrega de lembranças para um grupo de seus sócios fundadores. Em seguida, no mesmo local, tivemos o VI Festival Italiano de Barão de Cotegipe, este ano com apenas um coral convidado, a Sociedade Coral de Chapecó, que apresentou vários números de canto italiano e brasileiro. Prestigiando o evento, além do cônsul honorário italiano para Erechim e região, Sr. Idarci Pavan, autoridades municipais de vários municípios, estavam também presentes delegações de quase todas as sociedades vênetas da região do Alto Uruguai. A segunda etapa das festividades, apesar do mal tempo, tivemos o grande jantar italiano para mais de 1000 pessoas, no grande e bem aparelhado salão paroquial, que também serve como ginásio poliesportivo da cidade.

Fonte: COMVERS / La Piave FAINORS
Foto: Luiz C. B. Piazzetta / Grupo Fotográfico Cultural de Erechim

26 de maio de 2009

COMVERS presente no V Encontro de Corais e XVII Festa Italiana em Campinas do Sul RS














Na noite de 23 de Maio p. passado o COMVERS participou do V Encontro de Corais de Campinas do Sul e XVII Jantar Italiano promovido pela Sociedade Veneta Santa Luzia, este ano também homenageando os aniversários de 134 da Imigração Italiana no RS e os 50 Anos de emancipação do município. A nossa entidade estava representada pelo seu presidente Dr. Luiz Carlos B. Piazzetta. As apresentações do 13 grupos de canto coral italiano presentes foi na Igreja Matriz de N. S. dos Navegantes, para um grande público de mais de 750 pessoas. Presentes várias autoridades de Campinas do Sul, dos municípios vizinhos e de Santa Catarina. Também presente o Sr. Idarci Pavan, cônsul honorário italiano para Erechim e região Alto Uruguai.

Fonte: COMVERS / La Piave FAINORS
Fotos: Luiz C.B. Piazzetta / Grupo Fotográfico Cultural de Erechim

22 de maio de 2009

Seminário Cultura e Desenvolvimento em Erechim - o papel da Imigração Italiana na formação do RS



Dentro da semana de comemorações pelos 134 Anos da Imigração Italiana no RS, na noite de hoje, 22 de Maio de 2009, com apresença de um grande público no Centro Cultural 25 de Julho de Erechim, o COMVERS participou do "Seminário Cultura e Desenvolvimento - O papel da Imigração Italiana na formação do RS", promovido pela Assembléia Legislativa do Estado com apoio da UCS, Università di Trento e Prefeitura Municipal de Erechim. O COMVERS estava representado pelo seu presidente Dr. Luiz Carlos B. Piazzetta (também Associação Trevisani nel Mondo de Erechim e La Piave FAINORS) e pelos presidentes das entidades filiadas da cidade: Associação Bellunesi nel Mondo (Gertrudes Reolon), Associazione della Gioventù Veneta di Erechim (Morvane Boiani) e Circolo Vicentini nel Mondo di Erechim (Sérgio Baciqueto). Presente também o Circolo Trentino di Erechim (Ivanir Bombardelli). Os palestrantes Renzo Gubert e Gabriele Pollini são professores e pesquisadores da Universidade de Trento. A condução dos trabalhos esteve a cargo do presidente da Assembléia Legislativa gaúcha, deputado Ivar Pavan, que contou também na mesa com os debatedores os secretários municipais do desenvolvimento e educação, respectivamente Valmir Badalotti (Coral Stella Alpina) e Anacleto Zanella.

Fonte: COMVERS / La Piave Fainors

20 de maio de 2009

De Bona consegna attestati a giovani oriundi per corso su vetraria muranese



L’assessore regionale ai flussi migratori Oscar De Bona ha consegnato a Palazzo Balbi gli attestati di partecipazione a dieci giovani di origine veneta provenienti dal Brasile e dall’Argentina che hanno seguito un corso di formazione alla vetraria presso la Scuola del vetro Abate Zanetti di Murano. Il corso è stato realizzato per iniziativa dell’Associazione Veneziani nel Mondo, di cui era presente il presidente Bruno Moretto, e finanziato dalla Regione, avvalendosi della Scuola Abate Zanetti che opera a Murano come centro di cultura, di formazione e di ricerca nell’ambito della produzione artistica del vetro. Le attività didattiche per i giovani, selezionati tra le oltre sessanta richieste di partecipazione pervenute, si sono sviluppate in visite alle aziende vetrarie, incontri e dimostrazioni tecniche e artistiche con maestri ed esperti del settore e momenti dedicati alla pratica in laboratorio. De Bona ha ricordato che la Regione finanzia e sostiene ogni anno diversi interventi di carattere formativo per i giovani oriundi veneti, offrendo loro non solo un arricchimento sul piano professionale ma anche un’opportunità di riscoprire le comuni radici culturali. L’assessore ha inoltre esortato i giovani che hanno concluso questo corso a partecipare, una volta tornati in Sudamerica, alla vita delle associazioni e dei circoli degli emigrati e ha ricordato che a fine giugno si terrà a Venezia, a San Servolo, il meeting annuale dei giovani veneti nel mondo. Al termine dell’incontro a De Bona è stato consegnato il volume “La memoria del vetro”, curato da Andrea Tosi della Scuola Abate Zanetti, che raccoglie le testimonianze di circa quaranta maestri vetrai che raccontano i cambiamenti di oltre mezzo secolo di arte vetraria del Novecento.

Fonte Foto: Ufficio Stampa della Regione Veneto

19 de maio de 2009

Vênetos unem Farroupilha à Latina

Farroupilha oficializou no sábado (16), o gemellaggio – tratado de cooperação internacional entre as duas cidades visando intercâmbios culturais, econômicos e sociais - com Latina, região do Lazio. Fundada e colonizada por Venetos no século passado.A delegação de Latina, que chegou ao município no início da semana, era formada pela vereadora e representante do prefeito de Latina, Vincenzo Zaccheo, que também é responsável pela comissão de Gemellaggio, Marilena Sovrani; pelo engenheiro agrônomo que deu inicio às tratativas do Gemellaggio, Ottavio Cacioppo; pelo empresário Enzo Perpetuino; pelos representantes da Universidade de Latina, o médico Ernesto Coletta, e a professora Fábia Pagliei. Também acompanham a comitiva o casal Gianni e Franca Fiorese, da cidade de Bassano del Grappa.Os italianos foram recebidos na prefeitura naterça-feira (12) às 9h30min, quando o prefeito Ademir Baretta os recepcionou no salão nobre da prefeitura e após, aconteceu a entrevista coletiva com a imprensa com participação de tradutor. A comitiva permaneceu no município até 18 de maio com roteiro que incluiu visita à Câmara de Vereadores, Câmara da Industria, Comércio e Serviços (CICS), Escola Técnica de Farroupilha (Etfar), Centro de Ensino Superior Cenecista de Farroupilha (Cesf), Universidade de Caxias do Sul (UCS), empresas locais, comunidades do interior, pontos turísticos e participação no Encontro das Tradições Italianas (Entrai), em Nova Milano. Oficialização do Gemellaggio – para que o tratado tenha amparo legal e reconhecimento perante a legislação brasileira, aconteceu na Sessão Extraordinária da Câmara de Vereadores com promulgação de Lei municipal foi sancionada pelo prefeito Ademir Baretta no dia 16, em Nova Milano, durante o Encontro das Tradições Italianas (Entrai). A solenidade iniciou às 10h no palco principal com a presença do Cônsul Geral da Itália no Rio Grande do Sul, Francesco Barbaro. O COMVERS esteve representado pelo Consultor César Augusto Prezzi. Esta solenidade foi o ato de maior importância para a delegação italiana e para o Município, quando Farroupilha oficializou o Gemellaggio com instituição de Lei reconhecendo Farroupilha como cidade gêmea de Latina. Tratativas do Gemellaggio – Tendo em vista que Farroupilha e Latina são os maiores produtores de kiwi em seus respectivos países, as duas localidades foram colonizadas por italianos da região do Veneto e emancipadas na década de 30, é que surgiu a iniciativa de unir estas irmãs em tratado internacional com o intuito de promover intercâmbios em diversas áreas. Em maio de 2008 Farroupilha recebeu visita de comitiva de Latina para assinatura do Protocolo de Intenções que também foi reconhecido na Itália com visita da delegação farroupilhense em outubro de 2008.

Fonte: Jornal Pioneiro

Gemellaggio Farroupilha com Latina



A solenidade foi iniciada às 10h no palco principal com a presença do Cônsul Geral da Itália no Rio Grande do Sul, Dr. Francesco Barbaro. O COMVERS esteve representado pelo Consultor César Augusto Prezzi.

Fonte: COMVERS

Latina entregou placa ao COMVERS



Durante as cerimônias de assinatura do gemellaggio de Farroupilha com a cidade de Latina, a consigliere comunale desta cidade italiana, Sig.ra Marilena Sovrani, responsável pela comissão de Gemellaggio, entregou uma placa ao representante do COMVERS, em homenagem à entidade que representa os vênetos do Rio Grande do Sul. Na foto aquela autoridade municipal de Latina entregando a placa ao consultor do COMVERS César A. Prezzi.

Fonte: COMVERS

“Caminhos de Pedra” é declarado patrimônio Histórico e Cultural do RS



O turismo da serra gaúcha recebeu mais uma importante notícia da Assembléia Legislativa. Nesta terça-feira(19), o projeto de lei de autoria do deputado Jerônimo Goergen(PP) que declara os “Caminhos de Pedra” como patrimônio histórico e cultural do RS foi aprovado por unanimidade em plenário. Agora a proposta passará por sanção da governadora Yeda Crusius, para posteriormente, virar lei com a publicação no diário oficial. A rota "Caminhos de Pedra” foi fundada em 1992 e é composta por trajeto de liga a localidade de São Pedro até o Santuário de Caravaggio, em 9 km de extensão, e que inclui construções históricas da região da serra gaúcha, assim como restaurantes , pousadas e locações que remetem ao tempo que os imigrantes chegaram ao Estado. Ainda em 2008, a direção do Daer havia informado ao deputado Jerônimo Goergen (PP) que obras na VRS 855 serão feitas este ano. O órgão irá destinar recursos para a conclusão de pavimento no chamado "Caminhos de Pedra", rota turística da região serrana que sai de Bento Gonçalves em direção à Farroupilha, localizado nas Linhas Palmeiro e Pedro Salgado. A Associação dos Caminhos de Pedra comemora a aprovação do projeto junto à Comissão de Constituição e Justiça: “Estamos contentes com a decisão e pelo empenho do dep. Jerônimo pela causa. Agora esperamos que a governadora venha sancionar o projeto o mais rápido possível para termos já a resposta na próxima terça-feira, dia 26 quando comemoramos o dia de Nossa Senhora do Caravaggio. O parlamento teve a certeza de que esta área é um acervo arquitetônico para todo o estado do RS, um dos principais da imigração italiana no Estado”, argumenta o secretário executivo Nestor Foresti. Para Jerônimo Goergen, é importante valorizar regiões históricas do RS, que fomentam o turismo e resgatam o passado dos imigrantes: "é uma medida que amplia o potencial turístico da região, já que reconhece um patrimônio inquestionável da história de nosso Rio Grande. Com a aprovação na AL-RS, aguardamos a governadora sancionar o projeto nos próximos dias para tornar o projeto em realidade” diz Jerônimo.

Fonte: Jornalista Alexandre Farina 8947 - DRT/RS
Foto: Nestor Foresti




Imigração Italiana no RS 134 Anos de História



A grande emigração italiana do final dos séculos XIX e XX foi na verdade uma desordenada fuga, um gigantesco êsodo da população mais pobre e mais desprovida de recursos, especialmente das zonas rurais e de montanha do nordeste e do sul da Itália, atingidos que foram pela dura realidade da fome em um período muito difícil da história.
As precárias condições vividas pela Itália de então se fizeram sentir de maneira diferente pelas várias regiões da Itália. A populaçãos do Vêneto foi sem dúvida uma das mais atingidas por essa seqüência trágica de acontecimentos negativos na economia, muito agravados pela então recente unificação da Itália.
Apresentava-se para o povo Vêneto uma oportunidade para dar um basta definitivo na secular forma de viver em que tinham sido criados, vassalos, sempre dependendo de senhores, obedecendo e calando sempre.
Falando da emigração italiana para o Brasil, os Vênetos viveram em primeira pessoa estes acontecimentos e foi a região da Itália que mais perdeu população no curto espaço de tempo de 30 anos. Os Vênetos constituíram-se no maior grupo de emigrantes que partiram para o Brasil, a grande maioria veio se estabelecer aqui no Rio Grande do Sul já a partir de 1875.
O nosso Estado foi a primeira escolha dos Vênetos para a emigração além do oceano, uma emigração bem sabida só de ida, sem bilhete de volta e que duraria por toda a vida. Aqui eles encontraram uma nova Pátria e com muita fé, trabalho e suor em poucos anos transformaram a paisagem do sul do Brasil, derrubando aquelas imensas florestas e formando civilizados núcleos populacionais que logo se constituíram em importantes cidades.
Na ocasião em que se comemoram os 134 Anos da Imigração Italiana no Rio Grande do Sul, o COMVERS também se une às comemorações oficiais em todo o Estado por esta importante data da história do Brasil e do Povo Vêneto, principalmente como forma de manter sempre acesa a lembrança desta saga vivida por nossos antepassados, e que temos a obrigação de não deixá-la no esquecimento.

Dr. Luiz Carlos B. Piazzetta
Presidente COMVERS

13 de maio de 2009

La Regione metterà ordine nelle Associazioni



L’Assessore regionale ai flussi migratori, il bellunese Oscar De Bona ha preso giustamente il caso di petto: ogni volta che andrà all’estero per partecipare alle riunioni con i nostri emigrati e oriundi, farà una verifica sulla varie Associazioni o Circoli che sono in vita (alcune delle quali sostenute a vario modo) soltanto per controllare il voto degli italiani all’estero. “Voglio vederci chiaro su chi ci rappresenta e mettere ordine là dove da tempo poco si conosce ufficialmente - ha detto De Bona - visto che i veneti e loro discendenti sono 3,2 milioni e siamo la regione d’Italia con il maggior numero di emigrati e oriundi. Le concentrazioni maggiori di nostri emigranti sono in Svizzera e in Brasile. Risulta comunque alla Regione che la realtà associativa dei Veneti nel Mondo è presente in 30 Paesi dei vari continenti e solo in 20 Stati operano vere Comunità organizzate, anche di soli cento iscritti”.

Una verifica che non nasce a caso e che è necessaria?

“Torno a dire che sono a conoscenza che ci sono circoli o associazioni che esistono solo sulla carta, non svolgono attività per le nostre comunità e quel che è peggio è che coloro che dicono di essere impegnati in queste strutture-fantasma si prodigano per altri fini: cioè, sono attivi soltanto quando ci sono le chiamate elettorali. Ritengo che questi gruppi vadano sciolti perché costituiti da vecchi partiti. Non c’è nulla di penalmente rilevante ma occorre fare chiarezza prima di tutto sulla destinazione dei fondi e sui progetti che ogni associazione presenta alla Regione, considerato che ogni anno stanziamo 2,4 milioni per aiutare le situazioni di disagio, formare e insegnare un lavoro ai giovani, organizzare eventi culturali e favorire i rientri. La somma è stata stanziata anche per quest’anno, nonostante la difficoltà finanziarie causate dalla crisi”.

Ha fatto cenno ai fondi della Regione. Per quali finalità sono erogati?

“C’è da sottolineare che è da tempo che la Regione del Veneto, con l’obiettivo di tenere sempre vivo il legame con la terra d’origine, ha organizzato iniziative di vario genere, assegnando i fondi necessari. Per quanto riguarda il 2009 i fondi sono stati così ripartiti: 450 mila euro agli enti locali per agevolare i rientri e per iniziative culturali; 1,1 mln per le associazioni estere che predispongono progetti analoghi. Poi, 305 mila euro sono stati destinati al fondo per le politiche sociali e altri 450 mila per sistemazioni abitative o interventi ad hoc, sempre per facilitare i rientri. Un modesto importo è stato accantonato per affrontare le spese vive per la Giornata dei Veneti nel Mondo di fine agosto e per i lavori della Consulta che a novembre avrà luogo a Veracruz, in Messico, in collaborazione con l’Associazione Bellunesi nel mondo”.

E’ doveroso che ai giovani veneti all’estero si continui a mantenere una corsia preferenziale?

“Certamente: solo loro i canali di ricambio e di continuità delle nostre tradizioni. Ad esempio, nel prossimo giugno, all’isola veneziana di San Servolo, si riunirà il Comitato dei giovani all’estero. A fine agosto, in quel di Asiago, in collaborazione con i Comuni dell’Altopiano, ci sarà la Giornata dedicata agli emigrati e sarà l’occasione per ricordare alcune tappe salienti sviluppate dai nostri “ambasciatori esteri” che con il loro lavoro hanno fatto conoscere ed apprezzare il Veneto in varie parti del mondo. E’ un doveroso riconoscimento!”.

A che punto è l’operazione del Leone di marmo low cost?

“Le Comunità che ne hanno fatto richiesta sono tante. Diciamo, in sintesi che una copia del Leone di San Marco lo vogliono tutti: d’altra parte è il vero simbolo della regione del Veneto. Mi rendo conto che un Leone di Venezia nel bel mezzo di una piazza di una località del Sud America e gemellata con una del Veneto vuol significare una ricchezza di valori, di amicizia, di sentimento talian. Per accontentare il maggior numero possibile mi sono interessato direttamente del problema, al fine di contenere le spese e dimenticare quel che successe nel 2005 quando mi sono trovato in bilancio una scultura per una comunità veneta in Venezuela che venne a costare, tra manodopera e spedizione, ben 12 mila euro. E’ stato un esempio ovviamente del tutto isolato ed è proprio per questo che ho trovato una qualità di marmo a prezzo contenuto ed un gruppo di scultori che hanno dato gratuitamente la loro disponibilità artistica in cambio soltanto del rimborso delle spese per raggiungere il posto dove realizzare il Leone. Cito un esempio, per la riunione di Veracruz, un artista realizzerà sul posto un Leone di San Marco e, per rimanere una settimana, terrà pure dei corsi d’italiano (e anche di veneto) per i giovani della zona. Il tutto costerà solo 1500 euro. Una bella differenza da quel caso di 4 anni fa”.
Fonte: Veneti nel Mondo

Depoimento de Chiara Rigato na Revista infoVeneto




Na revista trimestral infoVeneto de Fevereiro, Março e Abril de 2009, encontramos as declarações da Srt.a Chiara Rigato falando da sua estada em terras do Rio Grande do Sul. Matéria colocada neste blog do COMVERS para acesso aos inúmeros amigos que a conheceram.

Fonte: COMVERS

11 de maio de 2009

InfoVeneto publicou notícia do Coro Trichiana em Carlos Barbosa



Em matéria publicada na revista infoVeneto, número I dos meses de fevereiro, março e abril de 2009, a jornalista Azar Tavassoli destacou a recepção do Coro de Trichiana pelo COMVERS na cidade de Carlos Barbosa.

Fonte: COMVERS

II Edizione del Premio Tesi di Laurea sull´Emigrazione dei Veneti nel Mondo a San Giorgio in Bosco (PD)



PREMIO PER UNA TESI DI LAUREA
SULL’EMIGRAZIONE DEI VENETI
NEL MONDO

II Edizione
Estratto del regolamento

Il Comune di San Giorgio in Bosco, Museo dell’Emigrazione veneta, in collaborazione con la Biblioteca Comunale, bandisce un Concorso per l’assegnazione di un premio di €. 500,00 riservato a laureati che abbiano discusso negli anni accademici 2006/2007 - 2007/2008 una tesi su. L’emigrazione dei Veneti nel Mondo. Gli argomenti potranno riguardare un ampio campo di discipline attraverso la focalizzazione o l’approfondimento di aspetti etnografici, folkloristici, storici, artistici, giuridici, architettonici - urbanistici, culturali, sociologici, tecnologici, economici, scientifici e ambientali, riferiti al presente o al passato del fenomeno preso in esame.
Le tesi verranno esaminate da un’apposita, qualificata Commissione individuata dall’Assessorato alla Cultura del Comune di San Giorgio in Bosco, il cui giudizio sarà insindacabile.
La Commissione può riservarsi inoltre di attribuire fino a un massimo di due segnalazioni di €. 250,00 ciascuna - a tesi di laurea ritenute meritevoli.
San Giorgio in Bosco, 01 agosto 2008

f.to Il Sindaco: Leopoldo Marcolongo

Patrocini:

Regione Veneto

Provincia di Padova

Università di Padova

Associazione Padovani
nel Mondo

A.N.E.A. Associazione Nazionale Emigrati ex Emigrati Australia

Fonte:
Sindaco Leopoldo Marcolongo San Giorgio in Bosco (PD)
COMVERS

6 de maio de 2009

Gioventù Veneta di Erechim faz doação de sangue





No último dia 18 de abril, uma das metas sociais da GIOVERE para o ano de 2009 foi alcançada, quando um grupo de jovens associados da entidade compareceu ao Banco de Sangue de Erechim para fazer a sua doação de sangue. É o comprometimento da entidade representativa dos jovens vênetos de Erechim, que vem se destacando no meio do associacionismo vêneto do RS com muitas ações de elevado cunho social como esta. Entre as ações sociais já realizadas pela GIOVERE temos: visita ao Lar dos Velhinhos de Erechim, visita ao Lar da Criança, Campanha do Agasalho e Cartas para Papai Noel dos Correios.

Fonte: COMVERS / Giovere / FAINORS
Fotos: Angelina Bonente

4 de maio de 2009

Papa Bento XVI recebeu o livro Caminhos da Fé do pesquisador Fernando Roveda





Pelas mãos do pesquisador e Coordenador do Projeto Memória de Antônio Prado Fernando Roveda, no dia 22 da abril o Papa Bento XVI recebeu um exemplar do livro Caminhos da Fé. O livro foi entregre após a Santa Missa rezada na Praça São Pedro na cidade do Vaticano em Roma. A obra registra o Patrimônio Cultural Imaterial religioso – as promessas de vida que deram origem aos capitéis e capelas construídos no município de Antônio Prado. Roveda recebeu a autorizacão do passe na ala do Sagrado localizado na primeira fila do altar. Após o pronunciamento para milhares de pessoas do mundo todo, o Papa Bento XVI se dirigiu para a ala reservada para cumprimentar as pessoas. Quando o Papa chegou me cumprimentou, conversou comigo e logo em seguida passei o livro em suas mãos. Ele leu o titulo: Caminhos da Fé de Antonio Prado no Brasil. Ai eu falei no dialeto – nosso talian – sobre a pesquisa que tratava da fé dos dos imigrantes italianos que foram para o Brasil no fim de 1800 para tentar um vida melhor. O Papa ouviu atentamente, na verdade mais do que imaginava, se mostrou muito atencioso, uma figura tranquila e simpática ao seu jeito. Recebi um terço de presente com a bênção do Papa. O Papa é realmente uma figura mundial reconhecida e respeitada por todas as religiões. Foi uma experiência verdadeiramente única e emocionante, quase sem palavras para expressar. O livro com o registro da memória do Patrimonio Imaterial religioso foi entregue para o conhecimento da cultura e história dos imigrantes italianos no sul do Brasil, especialmente da cidade de Antônio Prado. O encontro com o Papa Bento XVI teve o apoio da Associacão Veronese no Mundo e foi agendado pelo Padre jornalista Dom Bruno Fasani, que também é Conselheiro da Associação. Dom Bruno conheceu a obra no último encontro dos Veroneses no Mundo, em novembro de 2008, em Buenos Aires na Argentina.

Fonte: Fernando Roveda / CIBRAP COMVERS
Fotos: F. Roveda